A maioria dos usuários do Orion estão cientes de que é enviado um grande banco de dados MIB (se aproximando de um milhão de OIDS) como parte do NPM, mas muitos usuários não sabem exatamente para que o banco de dados MIB é utilizado, e para o que não é utilizado. Esse post foi feito para esclarecer as dúvidas mais comuns dos usuários em relação ao banco de dados MIB. Então vamos lá 😀

Então, para que é utilizado? Um dos seus cores usa o Orion SNMP Trap Server que é fornecido como parte do NPM. O servidor Trap é um serviço de “escuta”, o que significa que ele espera na porta especificada e quando a trap é enviada nessa porta, ele processa a mensagem. Esse processo envolve olhar a trap no banco de dados MIB para determinar como lidar com isso. Além disso, se você quiser criar uma regra de trap SNMP para tomar alguma ação com base na trap específica, a criação dessa regra pode envolver uma pesquisa no banco de dados MIB, como na imagem abaixo.

E pra que mais o banco de dados MIB é utilizado? Se você tentar criar um Universal Device Poller (UnDP), normalmente você vai usar o banco de dados MIB. Como parte do processo de criação do UnDP, você deve fornecer o OID alvo a ser buscado. Às vezes, você já sabe o OID. Se assim for, você pode digitar ou colar o OID na janela do UnDP. Quando você fizer isso, ele vai imediatamente verificar o banco de dados MIB pelo OID. Se o OID estiver no banco de dados MIB, ele irá preencher automaticamente o nome, descrição, tipo de valor da MIB, etc, com base nas informações da MIB.

Um equívoco comum sobre o UnDP é que a OID você deseja buscar deve estar no banco de dados MIB. Não é verdade. Se você tem um OID, o UnDP vai tentar buscar ele se atribuindo a um dispositivo, independentemente da OID estiver ou não no banco de dados MIB. O que você pode perder se não estiver no banco de dados MIB é que você mesmo tem que preencher o nome, descrição e outros detalhes. É isso aí. Você pode passar sem ele.

Mas e se você não sabe o OID que você precisa? Por exemplo, você pode saber que você quer medir algo como temperatura de um roteador, mas você não sabe exatamente qual é a MIB. Neste caso, você pode clicar em “Browse MIB Tree” no UnDP e você será capaz de navegar na árvore MIB. Os dados para essa sessão de navegação são puxados do banco de dados MIB. E se você realmente não tem certeza sobre o que você está procurando, você pode clicar em “Search MIBs”, digite um termo de pesquisa, e você terá uma lista de OIDs relacionados para checar, e essas OIDs são puxadas a partir do banco de dados MIB.

Para que então o banco de dados MIB não é usado, mesmo que a maioria das pessoas acham que é? A crença mais comum é que o banco de dados MIB é utilizado para identificar dispositivos. O Orion NPM reconhece um grande número de dispositivos automaticamente, sem nenhuma configuração. Quando um novo dispositivo é adicionado via descoberta ou através do assistente de adição de dispositivo, o Orion faz uma consulta SNMP, puxa um OID chamado sysObjectID. A suposição razoável seria que Orion está verificando este OID contra o banco de dados MIB. Razoável, porém errado. O Orion compara este valor com um banco de dados completamente diferente para identificar o fornecedor, tipo de máquina, etc, portanto, quando você adiciona um dispositivo que o Orion não reconhece, atualizando o banco de dados MIB não vai ajudar. É o banco de dados sysObjectID que precisa ser atualizado e que só acontece com as atualizações de versões e service packs. Não é parte da atualização do banco de dados semanal MIB.
Você deve estar se perguntando por que existem duas bases de dados. Estamos tentando dificultar? Não. O banco de dados sysObjectID veio primeiro, muito antes do Orion ter um servidor de traps ou um UnDP. Traps SNMP foram adicionados na versão 8.0, e UnDP foi adicionado na 9.0, e ambas os recursos precisavam de um banco de dados MIB robusto e o armazenamento mais antigo sysObjectID não era apropriado. Em vez disso, o Orion herdou o banco de dados MIB existente do nosso Engineer’s Toolset. Podemos muito bem consolidar esses dois bancos de dados, em algum momento, mas até então, são assim como as coisas funcionam.

E agora surgem mais dúvidas, e você deve estar se perguntando “como eu envio uma MIB para que ela seja adicionada ao Banco de Dados MIB do Orion?”
Caso sua MIB não apareça nos locais acima citados, abra um um ticket conosco, e nos envie sua MIB. O banco de dados MIB é compilado uma vez por semana e você será notificado quando o novo banco de dados for disponibilizado.

Importante!

Por se provar uma produto mais estável, completo, confiável com maiores possibilidades, nos recomendamos que você experimente e substitua o produto acima pelo OpManager, da ManageEngine.

Para realizar o download gratuito do OpManager: http://acsoftware.com.br/download_manageengine.php?produto=18&tool=http://www.manageengine.com/network-monitoring/download.html

Para conhecer mais sobre o OpManager veja a demo online: http://demo.opmanager.com/LoginPage.do

Vendas: (11) 4063 9639

Mesmo com todo esse clima da copa do mundo, claro que não poderíamos deixar de oferecer o melhor serviço para nossos clientes. Mais uma vez a Figo entra em campo para não só oferecer o melhor serviço pra vocês, mas também garantir com que o melhor serviço chegue até vocês. O Banco Itaú juntamente à Figo, estarão monitorando os pontos localizados perto dos estádios da copa do mundo, garantindo assim, um serviço funcional e de qualidade para nossa nação de torcedores.

O Banco Itaú além de apoiar o futebol, é o Banco Oficial da Copa do Mundo da FIFA 2014 e da Seleção Brasileira de Futebol. São mais de 1.000 pontos localizados perto dos estádios, que estarão sendo observados de perto pelos craques da Figo, permitindo saber qual a utilização de cada dispositivo, disponibilidade, se existe algum dispositivo offline, permitindo uma rápida detecção de pontos com problemas, e uma resolução mais rápida ainda. banco-itauHá menos de um ano a Figo assumiu não só o desafio, mas também a responsabilidade de monitorar mais de 10.000 links apenas do Itaú, contando com um regime 24/7/365, assegurando assim qualidade e disponibilidade dos serviços. Além da monitoração, são prestados serviços de análise e consultoria, que é fundamental para que os clientes contem com a capacidade e disponibilidade desejada para seus negócios.A Figo conta com o maior número de técnicos certificados no Brasil, sempre inovando e garantindo a excelência nos serviços prestados, tanto em monitoramento quanto no suporte aos nossos cliente.

Não marque gol contra, caso precise de apoio, tanto na parte comercial quanto na técnica, conte conosco, ou então é cartão vermelho. Aguardamos seu contato.

Importante!

Por se provar uma produto mais estável, completo, confiável com maiores possibilidades, nos recomendamos que você experimente e substitua o produto acima pelo OpManager, da ManageEngine.

Para realizar o download gratuito do OpManager: http://acsoftware.com.br/download_manageengine.php?produto=18&tool=http://www.manageengine.com/network-monitoring/download.html

Para conhecer mais sobre o OpManager veja a demo online: http://demo.opmanager.com/LoginPage.do

Vendas: (11) 4063 9639

O Orion Network Atlas da SolarWinds, é uma grande utilidade para a criação de diagramas de rede personalizados. A ferramenta é considerada um software “semi-automático” de mapeamento de rede. Ele usa os dados da rede descobertas no Orion e permite aos usuários desenhar diagramas de topologia física e lógica, arrastando e soltando os nós para a tela de desenho. Ele cria automaticamente conexões entre nós, usando a funcionalidade Connect Now e tem a capacidade de abrir o mapa projetado no Orion Web Console.

Embora o Orion Network Atlas exista há alguns anos, existem algumas áreas no produto que você pode não saber que existia. Este post tem como objetivo expor esses recursos, e ajudá-lo na criação de diagramas de rede informativos e ao mesmo tempo ajudá-lo com uma melhor apresentação.

Variáveis de Objetos de Exibição – Rótulos

Como um Orion Admin, você pode querer exibir informações adicionadas (como tipo de dispositivo ou endereço IP) de seus nós importantes que estão sendo representados em seu Orion Web Console. Isso ajuda no troubleshooting mais rápido de um problema, se algo der errado. Com Orion Network Atlas você tem a capacidade de adicionar variáveis ​​como etiquetas nos seus mapas do Atlas. Essas variáveis ​​analisam os valores reais automaticamente quando exibidas no seu Console Orion.

Propriedades personalizadas também podem ser representadas no mapa.

No exemplo abaixo, é exibido o nome do nó, Tipo de máquina, endereço IP para todos os objetos e para os firewalls SonicWALL é exibida uma propriedade personalizada – Asset ID no Orion Console. Abaixo, como foi feito:
Arrastar e soltar os nós na tela de desenho, mudou a etiqueta padrão para as seguintes variáveis:

  • ${caption} – Retorna o nome do nó.
  • ${machinetype} – Retorna o fabricante do nó.
  • ${ip_address} – retorna o endereço IP do nó.
  • Asset ID ${AssetTag} – Este é um campo de propriedade personalizada, criada no Orion e retorna os dados inseridos no console.Imagem 1 Imagem 2

DICA: A melhor maneira de replicar as mesmas variáveis ​​em outros objetos de nó, é copiando as variáveis ​​atribuídas a partir de um rótulo de um objeto de nó e colá-lo nos outros. Outra forma para a aplicação de variáveis ​​para outros nós é colando as variáveis ​​copiadas para outros objetos na Página Properties (botão direito do mouse – Propriedades).

UnDP Valores Estatísticos

Já se perguntou como exibir valores estátiscitos UnDP em seu console Orion Mapa? Por exemplo, no passado, você pode ter tido problemas de desempenho com um dispositivo em particular e agora você deseja monitorar ativamente a temperatura deste roteador em seu console Orion mapa.

O primeiro passo para conseguir isso é através da definição e criação de uma UnDP para monitorizar a temperatura para o dispositivo.

Depois de ter criado seu UnDP, você vai vê-lo automaticamente visível na seção Custom Node Pollers do seus nós. Basta arrastar esta variável UnDP em seu mapa e mudar o rótulo para o seguinte macro ${CurrentValue}. O resultado é ilustrado na imagem ao lado.
OBS.: Esse recurso foi introduzido no NPM 10.6.

Imagem 3 Imagem 4

Variáveis do Objeto de Exibição – Dica de Ferramenta

Para um grande mapa, exibindo informações adicionais usando etiquetas pode não ser ideal e poderia fazer seus mapas parecem desajeitados. Por esta razão, você pode querer exibir informações adicionais para o seu objetos no mapa como dica de ferramenta. Para alcançar este objectivo, em primeiro lugar:

  • Entre no seu console Orion;
  • Em seu recurso Mapa selecione “Edit”;
  • No lado direito da página, clique em “Customize Map Tool tip”;
  • Digite variáveis ​​apropriadas (Propriedades personalizadas e variáveis UnDP ​​também podem ser adicionados) nas caixas vazias definidas;
  • Clique em enviar e passar o mouse sobre os nós no mapa.

DICA: Para visualizar as variáveis ​​disponíveis que você pode usar no Orion, confira a sessão Appendix A do SolarWinds Orion Network Guia Atlas Admin (página 43 em diante).

background

Muitos usuários trazem diagramas de rede projetados no Microsoft Visio como imagens de fundo no Orion Network Atlas. A forma mais comum de trazer imagens de fundo no Atlas é selecionando a guia Home na barra de ferramentas e utilizando o botão Background Image…

Imagem 5

O Orion Atlas tem outro truque em suas mangas para trazer imagens de fundo. Basta executar um Print Screen da imagem desejada e colá-lo em sua tela de projeto Atlas. Com esta flexibilidade você pode trazer imagens em tempo real sem a necessidade de salvar, pesquisar e fazer upload de imagens. Outro caso de uso seria se existe a necessidade de trazer de um forcecedor de dispositivos de gráficos específicos em seu projeto e atribuir os gráficos importados para o seu objeto específico – Orion Node. Os passos a seguir vão ajudá-lo a realizar essa tarefa:

  • Copie os gráficos desejados para a área de transferência;
  • Clique com o botão direito do mouse em sua tela de projeto Atlas e selecione a opção colar;
  • Escolha “Paste the image from the Clipboard as a new object”;
  • Dê a este novo objeto um nome exclusivo;
  • Clique com o botão direito este novo objeto e selecione a opção Propriedades;
  • Na guia Status, arraste e solte seu objeto nó Orion desejado (neste caso, foi arrastado o nó 172.25.113.250);
  • Você tem agora o nó Orion 172.25.113.250, atribuído ao objeto importado.

Imagem 6 Imagem 7 Imagem 8

Restrições do Mapa

Como um administrador Orion, pode haver uma necessidade, de não deixar visíveis objetos de exibição de mapas para todos os usuários em sua organização. Por razões de segurança, você pode querer restringir a exibição de objetos em seu DMZ para seus usuários NOC. Para habilitar e configurar essas restrições, siga os passos abaixo estabelecidos:

  • Faça login o seu console Orion como Admin;
  • Vá para a página Orion Website Administration (canto superior direito e clique em Settings);
  • Clique em Manage Accounts;
  • Selecione a conta de usuário que você deseja adicionar restrições de mapa;
  • Clique no botão “Add Limitation”;
  • Selecione o tipo de limitação adequada na lista disponível;
  • Selecione a lista de nós que pretende limitar a visualização e clique em Submit;
  • Em seguida, execute e faça login no Orion Network Atlas;
  • Abra o mapa salvo ou o mapa que está sendo projetado e clique com o botão direito do mouse no mapa e selecione Propriedades do Mapa;
  • Selecione o botão “Remove nodes that users do not have permission to View”.

Imagem 9

 

Importante!

Por se provar uma produto mais estável, completo, confiável com maiores possibilidades, nos recomendamos que você experimente e substitua o produto acima pelo OpManager, da ManageEngine.

Para realizar o download gratuito do OpManager: http://acsoftware.com.br/download_manageengine.php?produto=18&tool=http://www.manageengine.com/network-monitoring/download.html

Para conhecer mais sobre o OpManager veja a demo online: http://demo.opmanager.com/LoginPage.do

Vendas: (11) 4063 9639

Precisando de apoio técnico ou comercial nos da Figo estamos a disposição! Entre em contato: