Netflow é uma tecnologia que permite o administrador visualizar em detalhes todo o tráfego que está passando pelo seu link. No entanto, não são todos os equipamentos que suportam este protocolo, geralmente são apenas os mais caros.

Netflow também só é encontrado em roteadores e switches. O que fazer quando se deseja ter netflow em servidores?

Este post irá mostrar como gerar flows em um servidor linux e exportá-los para o servidor Orion NTA onde se encontra o coletor e analizador de flows da SolarWinds.

Temos então, dois possíveis cenários: o primeiro onde se deseja obter flows de um roteador/switch que não possui a tecnologia; o segundo, deseja-se apenas gerar flows do tráfego oriundo do servidor em questão. Para os dois casos, o procedimento é o mesmo, o que irá mudar será como os flows serão gerados.

Precisamos então de um servidor linux (virtual ou físico) com 1 ou 2 placas de rede (2 placas apenas no primeiro caso). Nos nossos testes usaremos o Ubuntu Server 12.04 LTS, mas qualquer outra distribuição atual também será compatível.

Primeiro, precisaremos identificar a porta no roteador/switch que se deseja monitorar via netflow e realizar um espelhamento (port mirroring) desta porta em um switch ligado diretamente em uma das placas de rede do nosso servidor linux, como no diagrama abaixo.

esquema_port_mirroring_netflow_linux

Com o tráfego espelhado diretamente no nosso servidor, o próximo passo é instalar e configurar o aplicativo open-source fprobe pois será ele o gerador de flows. Praticamente todas as distribuições atuais possuem o aplicativo em seus repositórios, portanto não há necessidade de baixar o código e compilá-lo.

No Ubuntu, instalaremos com o comando abaixo:

“apt-get install fprobe”

Agora é só executar o fprobe com o comando abaixo:

“fprobe -ieth0 -x2:1 10.1.1.190:2055”

O parâmetro -i define a interface (eth0 no caso) na qual os pacotes trafegados serão analisados e seus flows serão gerados. O -x2:1 faz com que os flows tenham sentido (entrada ou saída) e o Orion não descarte os pacotes. No final é passado o IP do servidor Orion NTA com sua respectiva porta de coleta.

É possível executar várias instâncias do fprobe para várias interfaces de rede com diversos parâmetros diferentes de filtros para a geração de flows. Desta forma, pode-se concentrar a geração de netflow em um só servidor, a fim de otimizar a gestão e facilitar a manutenção.

No Orion, os flows coletados serão mostrados como na imagem abaixo.

netflow_sources_ubuntu netflow_ubuntu_eth0Lembre-se, precisando de apoio técnico e ou comercial, conte com a Figo Software seu Distribuidor SolarWinds.

Importante!

Por se provar uma produto mais estável, completo, confiável com maiores possibilidades, nos recomendamos que você experimente e substitua o produto acima pelo Netflow Analyzer , da ManageEngine.

Para realizar o download gratuito do Netflow Analyzer : http://acsoftware.com.br/download_manageengine.php?produto=19&tool=http://www.manageengine.com/products/netflow/download.html

Para conhecer mais sobre o Netflow Analyzer veja a demo online: http://demo.netflowanalyzer.com/netflow/apiclient/ember/index.jsp /

Vendas: (11) 4063 9639

Olá Amigos! É com muito prazer que compartilho neste blog a satisfação que tenha com a Figo Software, que vem se consolidado cada vez mais como uma referência mundial em implantação e capacitação em soluções SolarWinds.

A SolarWinds ofereceu nestes últimos 30 dias treinamentos para países da América do Sul Central e Africa, prova da sua consolidação como provedor SolarWinds em escala mundial. A parte dos clientes no Brasil, foram ministradas mais de 120 horas de treinamento para clientes internacionais, como a Telefônica no Chile , Nestlé no Peru, Nestlé na Jamaica e Chevron em Angola.

Os treinamentos, conforme o caso, aconteceram em três idiomas, sendo eles inglês, espanhol e português, e abordaram os módulos SolarWinds Network Performance Monitor, Netflow Traffic Analyzer(NTA), SolarWinds Network Configuration Manager(NCM), IP Address Manager (IPAM), SolarWinds Server and Application Manager, VoIP & Network Quality Manager (para IPSLA & Cisco CallManager), SolarWinds Web Performance Monitor (WPM) & SolarWinds Additional Pollers.

Treinamento para Telefônica em Santiago - Chile

Capacitação SolarWinds na Telefonica: Santiago|Chile

 

Além das funcionalidades e aplicações de cada solução, foram abordados no treinamento estratégias para deployment do SolarWinds, a topologia do cliente, estratégias para uso de alarmes e integração com ferramentas de service desk, definição de thresholds/limiares para alertas e notificações, análise de incidentes, troubleshooting, entre outros.

Capacitação para Chevron Angola, em São Paulo.

Capacitação para Chevron Angola, em São Paulo.

 

Somente quem tem como histórico ter sido o principal distribuidor SolarWinds e prestador serviços profissionais para o Brasil e região nestes últimos 5 anos, possui conhecimento e a vivencia coorporativa para entender e tratar com propriedade as necessidades de monitoração e gestão dos seus clientes. Precisando de capacitação ou monitorar, implantar ou administrar a ferramenta com 200 ou 200.000 elementos, fale conosco! Um abraço e até a próxima!

Como sabem o LogMeIn deixa de ser uma solução Free, e com isso muitos de vocês devem estar buscando alternativas? O DameWare Remote Support é a solução perfeito para isto, oferecendo o melhor custo x benefício do mercado.

Fazendo uma rápida introdução àqueles leitores cujo o DameWare é pouco conhecido. O DameWare, existe em duas extensões:
* A primeira o suporte remoto DameWare DRS (DameWare Remote Support)
O DRS é um pacote completo que contém todas as características do MRC (Mini Remote Control) e muitos outros recursos para gerir e monitorizar remotamente as máquinas na rede, incluindo tomar o controle e fazer alterações em seu Active Directory (AD) Infraestrutura.

* A segunda é o DameWare Mini Remote Control (MRC) que fornece uma ferramenta fácil e comprovada para suporte de uma área de trabalho remota em uma máquina na rede e inclui toneladas de recursos como autenticação, comunicação criptografada , chat, screenshots,.

Novidades da nova versão do DameWare que já esta em fase final de testes:

* DameWare v11 apoiará em uma arquitetura centralizada para facilitar o gerenciamento de licenças, usuários e listas de suportados

* DameWare v11 apoiará controle remoto através da internet (deve ter uma licença DRS – DamewWare Remote Support para este recurso) – (Adeus LogMeIn!!!)

Note-se que com a liberação da v11 , o recurso Session Internet estará disponível apenas para os usuários vinculados a uma chave de licença DRS . Todos os outros novos recursos (como login centralizado e licenciamento) irá trabalhar com ambos DRS e licenças MRC .

Abaixo está os recursos que você pode esperar para ver com Beta2 .

Novo DameWare Servidor e suas funções

Console de Administração

Enquanto isso não é um papel DameWare Server, é uma parte essencial da solução centralizada DameWare . É o instrumento através do qual você a gerenciar as funções de servidor DameWare . O Console de Administração pode se conectar ao servidor central ou móvel gateway diretamente para acessar o seu estatuto e as definições. O Proxy Internet tem que ser emparelhado com o Servidor Central para trabalhar, então as configurações são acessíveis através da ligação a uma instância apropriada Servidor Central.

Admin_console_Central_Overview

Servidor Central
O papel central do servidor é o centro da nova solução centralizada DameWare. Ele armazena as licenças para todos os DRS e DMRC Consolas instalado no modo centralizado, os registros do usuário e listas de acolhimento (globais e pessoais).

Abaixo está uma captura de tela do console de administração, mostrando guia Usuários Central Server. Nessa implantação particular, o papel de administrador pode configurar os componentes do servidor, modificar a lista de hosts globais, adicionar usuários, ativar licenças, etc A função de usuário será fornecido a um técnico que terá acesso a ambos MRC e funcionalidade DRS.

Admin_console_Central_Users

Proxy Internet
O servidor DameWare em papel Proxy Internet é um ponto fixo na comunicação Session Internet. Tanto o console a partir da rede interna e do agente a partir da Internet se conectar a ele, e pares de proxy Internet seus pedidos com base na mesma ID da sessão.
Abaixo está uma captura de tela do console de administração, mostrando as configurações de proxy da Internet. As configurações da sessão de internet são configuráveis ​​pelo administrador incluindo aspectos como porta e número de conexões permitidas.

Admin_console_OTI_Settings

Mobile Gateway
DameWare passagem móvel foi lançado como um produto autônomo na versão 10. Agora é uma função do Servidor DameWare com a mesma função. Ele recebe e encaminha pedidos de dispositivos móveis usando DameWare Mobile para agentes DameWare em sua rede local.

Notáveis ​​Novos Recursos

Assistente de Configuração
Para ajudá-lo a implantar a solução que melhor se adequam às suas necessidades e infra-estrutura de rede , criamos Assistente de Configuração para ajudá-lo a ativar e configuração de todas as partes do DameWare Server. Ele é iniciado automaticamente após a instalação implanta os arquivos . Ele pode ser iniciado novamente a partir do menu Iniciar , se são necessárias mudanças na configuração.

Sessão Internet
Esta nova funcionalidade permite consoles DMRC no modo centralizado para estabelecer conexões com os agentes fora da sua rede local, sem IPs públicos , por trás de firewalls com as configurações mais utilizadas. A conexão é iniciada a partir do Console DMRC eo link gerado deve ser passado para o usuário no lado do agente.
Note-se que com a liberação v11 , o recurso Session Internet estará disponível apenas para os usuários vinculados a uma chave de licença DRS . Modo centralizado irá trabalhar com qualquer DRS ou licença MRC .
Para estabelecer uma sessão de Internet , o técnico clica em Sessão Internet no console DameWare MRC e inicia uma sessão , como mostrado abaixo . Técnico em seguida, envia detalhes da sessão para o usuário final .

Internet_session_setup_c

Se o usuário final não tem agente instalado , o usuário é redirecionado para a página de download Agent hospedado no Proxy Internet. Veja abaixo uma imagem da página

Agent_download_for_OTI

Uma vez usuário final agente instalado , escolhendo “Join sessão de Internet ” na agente botão direito do mouse vai permitir que o usuário final para participar da sessão e técnico para o controle remoto da máquina do usuário final . Exemplo de detalhes da sessão pode ser visto na figura a seguir

Session_details

Listas de host globais e pessoais
Criar e gerenciar uma lista de host Global, que pode ser baixado por todos os usuários quando eles se conectam ao servidor central entrando na DRS ou DMRC Console (apenas com o modo centralizado).
Listas de host pessoal são semelhantes aos da pasta Máquinas favoritos, mas no modo centralizado, eles são armazenados no servidor de banco de dados central e são transferidas para qualquer console, onde o usuário em particular é registrado dentro Todas as alterações feitas são sincronizadas de volta ao servidor.

Abaixo está uma captura de tela do console de administração, mostrando lista de hosts global:

Admin_console_Central_Global_Hosts (1)1

Importante!

Por se provar uma produto mais estável, completo, confiável com maiores possibilidades, nos recomendamos que você experimente e substitua o produto acima pelo Netflow Analyzer , da ManageEngine.

Para realizar o download gratuito do Netflow Analyzer : http://acsoftware.com.br/download_manageengine.php?produto=19&tool=http://www.manageengine.com/products/netflow/download.html

Para conhecer mais sobre o Netflow Analyzer veja a demo online: http://demo.netflowanalyzer.com/netflow/apiclient/ember/index.jsp /

Vendas: (11) 4063 9639

A partir da versão 3.0 do SolarWinds User Device Tracker (UDT) você pode definir um conjunto de regras para determinar se um dispositivo de rede pertence a sua lista ‘white’. Se assim for, o dispositivo aparece na lista de recursos do UDT como um dispositivo de segurança. Os dispositivos ligados à sua rede que não estão na lista vão aparecer na lista de recursos ‘Rogue Devices’ e um alerta será gerado automaticamente para cada um deles. Você também pode definir um conjunto de regras que determinam se um dispositivo de rede deve ser ignorado pelo UDT. Se assim for, UDT descarta todos os dados relacionados. Isso é útil para endereços HSRP e VRRP MAC.

Embora o objetivo da lista white pareça claro num primeiro momento, você percebe rapidamente que suas possibilidades vão muito além de uma lista de dispositivos. Esta é certamente uma característica grande, então vamos falar sobre algumas das perguntas mais comuns que você pode ter quando se familiarizar com esta funcionalidade.

O que é a configuração padrão?

Por padrão todos são lista white. Portanto, quando você instalar ou atualizar para 3.0.x UDT, a lista white contém três regras: Qualquer nome de host, qualquer endereço IP e qualquer endereço MAC. Estas regras marcam qualquer terminal conectado como seguros, evitando assim o seu sistema UDT de ser inundado por alertas de dispositivos não autorizados. Quando você quer realmente usar a lista white, você tem que desabilitar algumas das regras em primeiro lugar.

Whitelist-Include-1

Outra parte deste recurso, que vem pré-configurado com a instalação, é a lista de endereços MAC ignorados. Ele inclui tanto HSRP e VRRP.

Whitelist-Ignore_

Quando é um Endpoint “seguro”?

Um endpoint é considerado seguro (ou seja, não marcado como Rogue Devices), quando o nome do host, ou endereço IP e o endereço MAC estão todos na lista white. Em outras palavras, se, por exemplo, o endereço MAC está na lista white, mas o nome do host não, um alerta será gerado.

É possível criar uma Lista Negra?

Não. A lógica atual considera Rogue Devices cada endpoint que não está na lista white.

Como faço para especificar os itens da lista white? Como posso listar os dispositivos seguros?

Na guia ‘Included’, clique em ” Add new “:

UDT-WhiteList-Summary-Add-Item_3

E então você tem várias opções:

Entradas Individuais

Você pode adicionar endereços individuais MAC, endereços IP ou nomes de host:

UDT-WhiteList-Add-Individual_4

Para uma regra você só pode adicionar apenas um tipo (por exemplo, endereços MAC).

UDT-WhiteList-Add-IP-Range_6

 

SUB-REDE

UDT-WhiteList-Add-MAC-Range_7

Entradas Personalizadas

A última opção dá-lhe alta flexibilidade. Você pode inserir endereços IPs, endereços MAC, ou nomes de host. Mais uma vez, apenas um tipo por regra.

UDT-WhiteList-Add-Custom_9

Como Faço para Importar minha Lista de Dispositivos Seguros?

Se você tiver, por exemplo, uma lista de endereços MAC que representam dispositivos de segurança em sua rede e deseja adicioná-los à lista white. Como você faz isso?

Se existe um padrão na lista, você pode usar o MAC ou entrada personalizada com curingas.

Se não há um padrão, então provavelmente é melhor para formatar a lista como um arquivo de texto simples e copiar e colar o conteúdo para o campo de entrada personalizada.

 

 

Por padrão, o NPM coleta as informações dos hosts ESXi via Vmware API. Portanto, o monitoramento simples via ICMP já garante a coleta de praticamente todas as informações necessárias, mas aquelas relativas às interfaces de rede e os datastores não ficam disponíveis no dashboard da plataforma Orion.

Para resolver este problema e obter o máximo do monitoramento basta habilitar o SNMP em cada host ESXi. Para tal, é necessário primeiro habilitar o acesso via SSH no host. Faça login no host utilizando o vSphere Client e ative o serviço como mostrado na figura abaixo

ssh_1ssh_2
Depois que o SSH estiver habilitado e rodando, será necessário acessar o host utilizando PUTTY ou similar para poder habilitar e configurar o SNMP. Primeiro edite o arquivo snmp.xml utilizando o comando abaixo:

Captura de tela 2014-04-16 12.01.17

Mude o parâmetro enable de false para true como na imagem abaixo:

snmp_1

Agora insira a comunidade SNMP e o target (IP do servidor Orion) como mostrado na imagem abaixo:

snmp_2

Após salvar as alterações, inicie o serviço SNMP utilizando a mesma interface usada para habilitar o SSH, conforme mostrado na imagem abaixo:

snmp_3

Pronto, agora é só adicionar/editar o node via SNMP na plataforma Orion de monitoramento e desfrutar dos novos dados de interfaces e volumes disponíveis. Precisando de apoio técnico ou comercial, estamos a disposição.

Créditos: Fernando Muniz – Infokeep

Importante!

Por se provar uma produto mais estável, completo, confiável com maiores possibilidades, nos recomendamos que você experimente e substitua o produto acima pelo OpManager, da ManageEngine.

Para realizar o download gratuito do OpManager: http://acsoftware.com.br/download_manageengine.php?produto=18&tool=http://www.manageengine.com/network-monitoring/download.html

Para conhecer mais sobre o OpManager veja a demo online: http://demo.opmanager.com/LoginPage.do

Vendas: (11) 4063 9639

Se você já teve a oportunidade de instalar o SolarWinds NPM 10.6 ou SAM 6.0, você pode ter notado o novo recurso ” Mapa Mundial “.

Worldwide_Map_0

Para aqueles de vocês que utilizaram o Google Maps com sua própria chave API para exibir o conteúdo de mapas dinâmicos, este novo recurso será um deleite real.

Mapa Mundial tem a capacidade de exibir o status de nós ou um grupo agregado de nós sobre os dados de rua atualizados dinamicamente.

Mapa mundial torna mais o layout e ver onde seu equipamento é, e o estado relativo. Gerencia um ambiente de campus e quer uma visão panorâmica de seu equipamento? Esse novo recurso permite.

Para adicionar nós ao mapa, basta clicar em ” Manage Map” e “Place Nodes on the map”.

Manage_World_Map_1Precisando de apoio, estamos a disposição.

Importante!

Por se provar uma produto mais estável, completo, confiável com maiores possibilidades, nos recomendamos que você experimente e substitua o produto acima pelo OpManager, da ManageEngine.

Para realizar o download gratuito do OpManager: http://acsoftware.com.br/download_manageengine.php?produto=18&tool=http://www.manageengine.com/network-monitoring/download.html

Para conhecer mais sobre o OpManager veja a demo online: http://demo.opmanager.com/LoginPage.do

Vendas: (11) 4063 9639

Em um momento ou outro, cada administrador de sistemas teve que confiar (embora às vezes a contragosto) no Agendador de Tarefas do Windows para automatizar alguns processos de rotina. Seja automatizar backups, a desfragmentação do disco, varreduras, etc, o Agendador de Tarefas do Windows, sem dúvida, desempenhou um papel importante no sentido de garantir a infraestrutura e manter adequadamente. No entanto, mesmo como o Agendador de Tarefas do Windows e suas melhorias ao longo dos anos, a visibilidade em tempo real sobre o sucesso ou fracasso dessas tarefas em toda a empresa manteve-se, em sua maior parte , um enigma.

A partir da versão 6.1 do SAM foi introduzido o Monitor de Agendador de Tarefas do Windows.

Elegante em sua simplicidade, o Monitor de Tarefas do Windows Scheduled do SAM pela primeira vez oferece-lhe acesso ao estado e status das tarefas agendadas configuradas em seus hosts do Windows. Além de simplesmente ver quais as tarefas que foram configuradas no host, seu estado atual, e seu último resultado, inclui um novo alerta pré-configurado que irá notificá-lo de quaisquer falhas de execução de tarefas. Você também irá encontrar novos relatórios baseados na web que permitem que você visualize todas as tarefas agendadas configuradas em todos os servidores no seu ambiente.

Várias opções estão disponíveis no novo monitor de Tarefas do Windows Scheduled do SAM. Ao adicionar um novo nó, ou na lista de recursos em WMI existente, será fornecida opção para selecionar Tarefas do Windows agendadas. O mesmo acontece para volumes ou interfaces. Pode ser ativado um nó de cada vez, você também tem a opção de utilizar o Rede Sonar Assistente de Descoberta, esta funcionalidade permite que rapidamente e facilmente sejam agendadas tarefas em massa em todos os hosts do Windows em seu ambiente, ou ativar esse recurso apenas em um seleto grupo de nós.

Ambas descoberta de uma só vez, e opções de descoberta recorrentes agendadas estão disponíveis para o monitor de tarefas do Windows agendadas. Se estiver usando a opção de descoberta agendada você terá controle sobre quais Monitores de Tarefas do Windows Agendada estão habilitados, como visto nas imagens abaixo.

WIndows+Scheduled+Task+Add+Node_7

WIndows+Scheduled+Task+Network+Sonar+Discovery_8

Windows+Scheduled+Tasks+-+Scheduled+Discovery_8

Importante!

Por se provar uma produto mais estável, completo, confiável com maiores possibilidades, nos recomendamos que você experimente e substitua o produto acima pelo APLICATIONS MANAGER, da ManageEngine.

Para realizar o download gratuito do Applications Manager:http://acsoftware.com.br/download_manageengine.php?produto=20&tool=http://www.manageengine.com/products/applications_manager/download.html
Para conhecer mais sobre o Applications Manager veja a demo online: http://demo.appmanager.com/MyPage.do?method=viewDashBoard&toredirect=true

Vendas: (11) 4063 9639

A partir da versão SolarWinds NPM 10.6, pode ser notado algumas mudanças no menu de relatórios. E por mudanças, queremos dizer a nova capacidade de criar novos relatórios impressionantes do console web. O report writer que conheceu e ama ainda está disponível, e funciona exatamente como sempre foi. Achamos que você vai adorar a nova funcionalidade, tanto que você nunca mais vai voltar para o velho report writer. Sem mais delongas, vamos para alguns destaques.

Novos Relatórios

Além de todos os relatórios anteriores do report writer, foram adicionados um monte de novos relatórios para SolarWinds NPM e SolarWinds NTA (Netflow). Estes novos relatórios têm a capacidade de conter vários recursos (tabelas / gráficos) que podem ser configurados para informar sobre as fontes de dados separados (ou o mesmo) ou períodos de tempo. Por exemplo:

Highest_Average_Response_Time_1Para facilitar a sua vida, você pode levar esses relatórios existentes e personalizá-los.

O novo report writer dá-lhe a capacidade de alterar o cabeçalho / rodapé / logo / etc. Além disso, os próprios recursos são drag-and-drop para tornar mais fácil para o layout do relatório, e que comece a satisfação do seu chefe.

Report_Layout_2Relatórios personalizados

Se você é mais do tipo de pessoa DIY (faça você mesmo), o novo report writer dá-lhe a capacidade de criar um relatório útil a partir do zero no SQL se necessário (A menos que você realmente queira usar SQL ele pode fazer isso também. )

Sinta-se livre para usar mais de um dos recursos da web existentes ou criar novos recursos todo seu.

Resource_Selector_3Criando um gráfico personalizado ou tabela é tão fácil como a definição de sua fonte de dados (que pode ser dinâmico) e, em seguida, os dados que você gostaria de relatar.

Select_Report_data_4

Os dados podem ser filtradas para representar os itens do topo X, ou a percentagem de topo X de itens.

Custom_Chart_5O novo report writer permite que você obtenha relatório tão simples, ou detalhado como você gosta. Reportagem muitas vezes pode ser um desafio, especialmente quando você está criando um relatório personalizado detalhado, através do SolarWinds NPM versão 10.6 essa criação simples passou a ser possível. Lembrem-se precisando de apoio técnico ou comercial conte conosco!

Importante!

Por se provar uma produto mais estável, completo, confiável com maiores possibilidades, nos recomendamos que você experimente e substitua o produto acima pelo OpManager, da ManageEngine.

Para realizar o download gratuito do OpManager: http://acsoftware.com.br/download_manageengine.php?produto=18&tool=http://www.manageengine.com/network-monitoring/download.html

Para conhecer mais sobre o OpManager veja a demo online: http://demo.opmanager.com/LoginPage.do

Vendas: (11) 4063 9639

O protocolo SNMP (do inglês Simple Network Management Protocol – Protocolo Simples de Gerência de Rede) é um protocolo, da camada de aplicação, de gerência típica de redes IP, que facilita o intercâmbio de informação entre os dispositivos de rede, como placas e comutadores (em inglês: switches). O SNMP possibilita aos administradores de rede gerenciar o desempenho da rede, encontrar e resolver seus eventuais problemas, e fornecer informações para o planejamento de sua expansão, dentre outras.

O software de gerência de redes não segue o modelo cliente-servidor convencional pois para as operações GET e SET a estação de gerenciamento se comporta como cliente e o dispositivo de rede a ser analisado ou monitorado se comporta como servidor, enquanto que na operação Trap ocorre o oposto, pois o envio de informação é por conta do dispositivo gerenciado. Devido a isso, os sistemas de gerência de redes evitam os termos “cliente” e “servidor” e optam por usar “gerente” para a aplicação que roda na estação de gerenciamento e “agente” para a aplicação que roda no dispositivo de rede.

SNMPDispositivos gerenciados podem enviar notificações SNMP para seus gerentes quando certos eventos ocorrem, que são as Traps. O envio de um pacote de rede do tipo SNMP Trap permite que um agente notifique o sistema de gerenciamento para a ocorrência de qualquer evento relevante em qualquer instante de tempo. Essa mensagem pode ser de natureza estatística ou mesmo relacionada a status.

O SolarWinds Orion trabalha com Trap de duas formas, uma é recebendo Traps dos dispositivos gerenciados e a outra é enviando Traps para algum outro dispositivo, aplicação ou ferramenta.

SNMP TrapRecebendo a SNMP Trap, que se basea na escuta dos eventos ou “anúncios” que chegam pela rede, o SolarWinds Orion pode guardar a mensagem e alertar na ferramenta dependendo do tipo de informação recebida. Uma das vantagens desse modo de monitoramento é que eles são controláveis em termos de quantidade de detalhes que você deseja receber e esse tipo de pedido é capaz de reagir rapidamente assim que o problema ocorre.

0038_ETS_10-7_SNMP-Trap-Receiver_Lg_ENNo outro método, enviando as SNMP Trap, o SolarWinds Orion pode enviar mensagens contendo informações para algum servidor terceito podendo, por exemplo, abrir um ticket automaticamente em alguma aplicação de Help Desk assim que o Orion detecte que algum dispositivo gerenciado fique down. O Orion permite que essa trap seja modelada para que ela contenha somente as informações necessárias para essa abertura de ticket. Com isso aumentando ainda mais a versatilidade da ferramenta.

Referências:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Simple_Network_Management_Protocol

Precisando de algo seja na parte técnica ou comercial, estamos a disposição

Importante!

Por se provar uma produto mais estável, completo, confiável com maiores possibilidades, nos recomendamos que você experimente e substitua o produto acima pelo OpManager, da ManageEngine.

Para realizar o download gratuito do OpManager: http://acsoftware.com.br/download_manageengine.php?produto=18&tool=http://www.manageengine.com/network-monitoring/download.html

Para conhecer mais sobre o OpManager veja a demo online: http://demo.opmanager.com/LoginPage.do

Vendas: (11) 4063 9639

O SAM (Server & Application Monitor) é um dos módulos mais flexíveis que a SolarWinds comercializa. Com ele é possível monitorar praticamente qualquer tipo de aplicação através de scripts. No entanto, a ferramenta já vem com vários templates prontos para facilitar a nossa vida.

O Apache é o WebServer mais utilizado no mundo e no SAM podemos encontrar 2 templates prontos para a sua monitoração, um para ambientes Linux/Unix e outro para Windows. O SAM coleta as informações do servidor através de consultas na página server-status do apache, portanto a mesma deve estar ativada. Para ativá-la basta inserir o código abaixo no arquivo httpd.conf:

<Location /server-status>
SetHandler server-status
Order deny,allow
Deny from all
Allow from localhost
</Location>

ExtendedStatus On

Como a página server-status mostra todos os detalhes do seu webserver, por questões de segurança, é importante configurar o acesso à mesma apenas para localhost, como foi mostrado acima. O atributo ExtendedStatus também deverá ser habilitado para que todas as informações possíveis sejam coletadas. Não se esqueça de dar um restart no seu apache após adicionar estas novas configurações.

Para o Apache do Windows falta só aplicar o template ao servidor usando as credenciais do mesmo e pronto. Só esperar a primeira coleta para começar a ver os resultados na tela. Para o Linux, o monitoramento é feito através de scripts Perl, portanto é necessário que o mesmo esteja instalado juntamente com a biblioteca libwww-perl. Após completar os pré-requisitos, basta aplicar o template ao servidor utilizando credenciais SSH.

Template aplicado ao servidor

Template aplicado ao servidor

Precisando de apoio técnico e ou comercial nós da Figo Software, especialistas SolarWinds estamos a disposição para lhes ajudar.

Importante!

Por se provar uma produto mais estável, completo, confiável com maiores possibilidades, nos recomendamos que você experimente e substitua o produto acima pelo APLICATIONS MANAGER, da ManageEngine.

Para realizar o download gratuito do Applications Manager:http://acsoftware.com.br/download_manageengine.php?produto=20&tool=http://www.manageengine.com/products/applications_manager/download.html
Para conhecer mais sobre o Applications Manager veja a demo online: http://demo.appmanager.com/MyPage.do?method=viewDashBoard&toredirect=true

Vendas: (11) 4063 9639